Voltemos a 15 de Agosto de 1977, momento histórico para o programa SETI quando o radiotelescópio Big Ear recebe um forte sinal de ondas de rádio proveniente da constelação Chi Sagittarii (Sagitário). Foram registadas uma sequência de seis letras e números que duraram 72 segundos, com uma frequência de 1420.4556MHz e tratava-se de um tipo de sinal que segundo se consta, tratar-se-ia de um sinal que uma civilização enviaria, a 122 anos-luz da Terra. A notícia foi bombástica nos anos 70 e foi efetivamente, uma notícia WOW!.

Voltemos ao presente: 2016. O professor de Astronomia no St. Petersburg College, na Florida, Antonio Paris afirma que o sinal WOW pode ter sido enviado a partir da passagem de um ou dois cometas. Os objetos na altura não eram conhecidos na altura, mas as suas órbitas e posições em 1977 eram muito próximas relativamente ao local onde foi detetado o sinal WOW!.

Essa mesma região foi sistematicamente observada e alguns pesquisadores sugeriram que poderia tratar-se de um evento que tivesse ocorrido naquele local em específico. Isto fez Antonio Paris pensar que poderia realmente tratar-se dos cometas 266P/Christensen e o P/2008 Y2 (Gibbs).

“Surgiu-me esta ideia quando estava a conduzir no carro e pensei se um corpo planetário, movendo-se suficientemente rápido poderia ser a fonte desse sinal”, afirmou Paris.

 

 

Alguns pesquisadores são ainda mais cépticos em relação ao caso. Cometas teriam que libertar uma quantidade enorme de hidrógenio para produzirem um sinal tão forte como o WOW!.

James Bauer, do Jet Propulsion Laboratory, em Pasadena (Califórnia) afirmou à New Scientist “se os cometas fossem radio-brilhantes a 21 centímetros, gostaria de saber porque é que não se vê esse comprimento de ondas mais frequentemente”.

“As hipóteses têm de ser testadas antes de serem excluídas”, afirmou Paris. Como tal, podem ter essa oportunidade daqui a 1 e 2 anos, quando, nessa região regressar o cometa 266P/Christensen, a 25 de Janeiro de 2017 e o cometa P/2008 Y2 (Gibbs) a 7 de Janeiro de 2018.

Estudando as suas emissão de rádio e a velocidade que se movem, os astrónomos poderão determinar se os cometas foram realmente os responsáveis pela produção do Sinal WOW! ou… se foi na verdade outra coisa e aí, o mistério continua.

Anúncios